Sobre a raça...

De médio porte, um sorriso alegre e um corpo completo por pintas, esse é o dálmata! Uma raça que conquista não por sua beleza, mas por ser o melhor companheiro do dono, seja em cima do sofá ou em uma corrida no parque. 

História

O dálmata teve sua origem reconhecida através de pinturas em igrejas nos séculos XVI e XVIII nas regiões da Dálmacia, Croácia. Esse país, Croácia, seria então onde os surgiram os primeiros cães da raça. A partir daí, a raça foi reconhecida, após alguns anos, em toda Europa, e no ano e 1882, o inglês Vero Shaw escreveu o primeiro padrão da raça. 

O dálmata teve como principal função, antigamente, o cão de carruagem(coach dog). Ele acompanhava grandes viagens dos senhores ricos da época que possuíam luxuosas carruagens, e fornecia a guarda e a beleza de sua pelagem durante todo o trajeto. Por isso se deve a grande afinidadade que a raça possui com os cavalos. Hoje, o dálmata é um cão perfeito para exercícios de bike ou até running, pois tem resistência para caminhar longas distâncias e adoram seguir o dono, perpetuando assim sua antiga função.

Aparência

De tamanho médio, o dálmata geralmente pesa de 20 a 35 kg, e tem a altura em média de 55 cm para fêmeas e 60 cm para machos. O que mais chama atenção na raça são suas pintas de coloração preta ou marrom, bem definidas, distribuídas por todo o corpo. A cabeça tem a base larga e orelhas pendentes. Os olhos devem ser de tonalidade marrom escuro nos cães de pintas pretas, e marrom mais claro tendendo ao âmbar nos cães de pintas fígado. A cauda nunca deve enrolar sobre o corpo. O dálmata é um cão forte, musculoso e distintamente manchado. O movimento deve ser elegante, com longas passadas. A diferença entre uma fêmea e um macho, deve ser bem visível. 

Temperamento

É claro que o temperamento do dálmata varia de um cão para o outro. No geral, é uma raça alegre, confiante, carinhoso e que adora seguir o dono para onde ele vai. Adoram brincar, e se dão bem com outros cães e espécies. É um cão que adquiriu três características importantes de sua antiga função: seguir o dono, a afinidade com cavalos e fazer a guarda do território se assim for preciso. O dálmata é muito ativo, e será um cão muito infeliz se o privarem de espaço para correr, pular e brincar. É um ótimo companheiro para atividades física, paciente com crianças e obediente se assim for lhe ensinado. Aprende truques com grande facilidade.

Saúde

Uma raça considerada bastante saudável, com poucos problemas de saúde geneticamente obtidos. Alguns problemas genéticos podem acontecer: alergias na pele, surdez congênita, urolitíase(formação de pedras no aparelho urinário) e por último cardiopatias e displasia coxofemoral. A surdez é controlada pelo teste mais importante na raça, o teste de BAER, que testa o funcionamento auditivo dos cães e apenas os cães com audição bilateral devem acasalar. A displasia coxofemoral tem controle, com o exame de displasia feito com radiografia no local, apenas cães com chapa A e B devem acasalar. A formação de cálculos se deve ao um erro genético da raça no metabolismo de proteínas, ocasionando um acúmulo de ácido úrico no trato urinário, é um acontecimento comum e um dálmata deve passar por exames periódicos e uma alimentação com proteínas com baixo índice de purinas. Já estão implantando um dálmata geneticamente modificado com gene correto para metabolismo de proteínas, os AUB dálmatas ou LUA dalmatians em inglês. 

© 2013 by Spot One. All rights reserved.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon